10 de dezembro de 2009







Sem pedir uma estrela, ofereceram-me a lua, e desde o momento em que iluminou a minha vida, fui tão feliz! Fui uma menina mulher, que acreditou no conto de fadas, porque o sentiu, sim era a MINHA verdade!


Por vezes questionava: como é que me és tanto?? Como??


E por ser tanto...dei , dei tudo o que me foi permitido dar, se mais não dei, foi porque nem sequer tinha como dar, pois não se pode dar nada mais, a quem nada mais quer receber.


Cheiros, cores e sabores, ganharam vida , fizeram-me sentido e esboçaram-me sorrisos, porque em tudo... no meu mundinho , tudo era ele, tudo me levava a ele!
E quando então estava comigo, parava o mundo...por vezes até eu estagnava, porque mais nada me importava, quantas coisas lhe queria fazer, queria sentir, mas...


Por vezes bloqueava apenas para poder contempla-lo, venera-lo naquele momento único e tão raro de acontecer...Estava comigo, entendem? Quantas vezes eu própria dizia: xiuuu, Lita é verdade está aqui... contigo!!!
Que mais podia eu pedir? Será que entendem?


Quantas vezes no auge da sua moral, duvidou de mim, e me machucou por achar de mais o meu sentir!
Puxa, isso sempre doeu!! E mesmo roubando o meu sorriso... Era temporário, não conseguia guardar mágoa, porque qualquer gota que me dava de seguida, era tanto...
Era tudo ... era amor...aliás...para mim... era amor!
Quem nesta vida não quer ser amado, se sentir apaixonado, se deixar levar pelo sonho? Acreditar que sim, que os contos de fadas podem acontecer! Seria eu estranha por me sentir assim? Que estranha seja , fui tão mais feliz... estranha!
Céus!!!
Vivi num micro-cosmo, onde nada mais existia.
Incluiu em rigorosamente tudo da minha vida! E agora tudo é real, confinando-me a um espaço limitado de manobra !
Fantasmas, pairam em tudo e por tudo na minha cabeça e corroem-me aos bocadinhos...
Talvez me tenha que reeditar, queria mesmo era fazer reset, de tudo e de mim... mas limpar sentimentos e memórias, é impossível, por isso há que aprender a lidar com o novo mundo...
Aprender a alterar gestos, contornar lembranças, evitar situações,e talvez...




Talvez volte a saborear o meu galão da manha , quando conseguir simplesmente aquecer as minhas mãos no copo, sem pensar como o meu menino só bebe leite em copo de vidro...



Talvez volte a tomar um longo duche de água quente, sem tremer de saudade, quando deixar de sentir as suas mãos, e o cheiro a leite de amêndoas...




Talvez deixe de sair á pressa da wc, e me volte a cuidar e maquilhar em frente ao espelho ainda enrolada na minha toalha, quando parar de o recordar no meu espelho embaciado, e a forma mimada como se aninhava no toalhão...




Talvez consiga pentear o meu cabelo, com delicadeza... quando até este gesto rotineiro, já não me levar a sentir a maciez dos seus cabelos por entre os meus dedos...




Talvez volte a colocar a roupa que vou usar depois do banho em cima da cama, quando não recordar com tanto carinho, a forma como gostava de cuidar dele assim...



Talvez um dia tire da embalagem o lingerie cor de rosa, que comprei para o agradar, e o faça só para mim, achando-me bonita e contente por o usar, ao invés de me magoar só olhando para a caixa,pensando... porque?? porque comprei eu isto, se nem gosto de cor de rosa, e ele já nem vai ver!!



Talvez torne a abrir e a fechar a porta da rua , sem ser num gesto alucinado que me obriga a ficar o resto do dia a pensar se a terei mesmo fechado, quando não mais o imaginar de pernas a tremer agarrado ao puxador da minha porta...




Talvez volte a abastecer o meu carro no posto de combustível do custome, quando não o ficar a ouvir dizer ...ai mãe, e imaginar a surpresa da menina do gás...



Talvez volte a conduzir á noite, quando os meus olhos não se rasarem, a cada vez que os fárois dos carros ao longe, me levarem a ver sempre... aqueles olhos tão pequeninos...



Talvez de cada vez que ele estacionar o carro á minha frente, o meu coração não aperte com a lembrança, do gesto carinhoso da sua mão na minha perna enquanto conduzia, ou do acto de amor inconsciente de perfeitos adolescentes, numa das noites mais escuras que me recordo...



Talvez volte a ver uma telenovela brasileira, quando as imagens do pão de açúcar, não me inflamarem com o sonho tão real de o ver chegar, senhor e dono do seu areal, de havaianas na mão, ao som de Diana Krall...



Talvez um dia volte a ouvir o meu piano, sem que as teclas me acutilem, recordando-me como nunca o ensinei a ouvi-lo...



Talvez volte a mudar de canal, quando transmitirem imagens de futebol, e deixe de o procurar nas bancadas do seu estádio, ou tente entender um jogo que não gosto, que nunca vou perceber, nem nunca irei ver, nem com pipoca, nem sem ela...


Talvez pare de saltar da cama em euforia, porque o telemóvel tocou a altas horas, quando perceber que a mensagem inesperada, é apenas da operadora a avisar que o saldo do meu cartão expirou, pois beijos de lua cheia, histórias de princesas e reinos encantados, perderam-se nas páginas dos contos infantis, para mim não mais vão chegar ...



Talvez volte a ligar o rádio no meu carro, sem ter que me certificar se tem colocado o CD certo que gravei , onde não existem músicas inoportunas que me catapultam as lembranças, as dedicatórias, aquela em especial que me leva a sonha-lo, sentado no meu sofá , para que eu dance para ele... muito menos aquela que me foi oferecida no aniversário, como a que esteve durante 12 anos, guardada para mim...




Talvez consiga voltar a escrever, quando as teclas do meu portátil não me queimarem a ponta dos dedos, recordando como nos tocávamos aqui, aqui talvez seja a marca mais profunda que me fica...




Talvez deva formatar o meu disco , e me livrar deste vírus que me corrompe os ficheiros, mas que nunca antes o tinha feito, porque a cada aviso do anti-vírus, abria um sorriso a pensar... no meu vírus informático... o vírus que lhe enviei na forma de um texto meu, e o inflamou a ele, e me apaixonou muito mais a mim... muito mais...


Talvez brinque de cócegas novamente com a minha filha, quando não doer, a recordação das gargalhadas boas, que me fazia soltar...



Talvez o meu riso volte a ser espontanêo, quando me esquecer de como ele gostava do meu sorriso dobrado, que nem eu bem sei como o faço, mas sei sim, que não o quero dar mais...



Talvez não implore aos céus numa inexpugnável prece, que esconda a lua de mim, a lua ficou especial demais, até num filme que fui ver,supostamente para desanuviar, abriu a tela de cinema com uma lua divina e por castigo ou perseguição, até começou com uma frase que ele me customava dizer, foi um choque tão grande, que achei que era um sinal de que ele estava ali, e passei o filme a procurá-lo nas cadeiras todas!!! Céus, esconde-me a lua até eu aprender a simplesmente olhar para ela, sem lhe tentar ler os recados que lá deixamos, e sem que ela só me leve a ele...



Talvez um dia volte a deixar a chuva me escorrer no rosto, afinal quantas vezes pedi chuva, para ter um sonho bom, pela magia da liberdade e o fetiche secreto dos beijos á chuva...os beijos já não fazem sentido, mas a liberdade quero voltar a sentir...



Talvez os domingos de manha deixem de magoar, com as horas que não passam, quando perceber que agora é um dia igual a todos os outros, se em outros domingos fui a feiticeira que o inundava de vida, se era sentida a minha falta ali ao lado a ver o mar para que se sentisse completo, ou se fui procurada entre 60.588 pessoas num estádio...agora domingo é apenas um dia que peço que passe... e depressa...

Talvez o meu sono volte, quando conseguir estar deitada, sem o imaginar no seu pijama azul petróleo... de cetim...



Talvez as borboletas..... não as borboletas...será sempre mais, que aquilo que consigo aguentar...


Por isso...
Borboleta, um dia ele disse-te ... vai com cuidado...que vou precisar sempre de ti...



Chegas-te grandiosa como sempre, carregando os meus beijos, e eu devolvi-te... cheia de amor, mas nunca mais voltaste...



Por isso hoje digo-te eu... ele não vai precisar mais de ti... por isso anda, espero por ti... eu sim preciso de ti, para que fiques comigo esta noite, e me possa aninhar a ti...







12 comentários:

Moonlight disse...

Minha amiga e querida Lita,

...perante tal...amiga...deixaste-me sem palavras,de boca seca....apenas te digo o que ontem escrevi em meu blog;

"Ás vezes....esqueço-me....de te esquecer...."

Desejo paz e felicidade para ti e tua menina,que Deus olhe por voces.
Adoro-te de coração!

Bjinho cheio de luar

Transcendente disse...

Texto cruel... Mas acho que estes sentimentos nos ensinam a viver.
Como diria um amigo meu: "Mais uns quantos para a minha colecção de sentimentos. Venham os próximos!"

Lita disse...

Amiga Moonlight,

Sabes,ás vezes esqueço-me de me lembrar de mim...

Um beijo, para ti e a tua princeza, e obrigado por estares sempre connosco...
Um beijo
Lita

Transcendente,

Cruel?
Talvez a vida seja cruel, ou simplesmente a aprendizagem seja dura demais...
Há que passar dias, e esperar dias melhores...
Um beijo
Lita

Moonlight disse...

Amiga Lita

Passando apenas para te desejar uma noite de paz, mais á tua querida estrelinha Matilde.
Agradecer o teu carinho e mandar o meu tambem.
Sim....por vezes andamos em sintonia!!!!!
Coisas do mesmo "sofrer" :))))possivélmente!!!!
Deixa pra lá.....amanha tudo será bem melhor como nós o sabemos imaginar e esperar!

Bjinhos cheios de luar,pra voces as duas de mim e de minha filhota Carlota.

E.Suruba disse...

gostoso de ler

Secreta disse...

Tocante, intenso...
A vida prega-nos partidas, o amor.
Beijito.

Luz disse...

Lita,
Que texto, que fortaleza todo o sentir que encerra, é de ficar sem palavras, de sentir um sabor amargo na boca ao sentir tanta dor, tristeza...
A vida tem momentos destes, tanto nos dá como nos tira...
Mas são estes momentos que mais nos ensinam a viver e, aprendemos, crescemos muito com a dor e, há dores das quais acabamos por tirar também um lado positivo por muito que possa custar, doer...
Sentimento muito forte este e, acabamos por nos rever e, encontrar tantos pontos que se cruzam.
É a vida..., como se costuma dizer, "o que custa não é viver, mas saber viver..."

Bjo com muita Luz

Luz disse...

Olá Lita,
Há um desafio num dos meus espaços, no animalucemia, pode ir buscar se quiser, agarre-o e partilhe.

Bjnhs de Luz

APC disse...

a crueldade da vida - sobretudo causado po pessoas - não conhece limites. superar é a palavra de ordem.
Beijo e boas festas

Moonlight disse...

Minha querida amiga,

Venho desejar a ti ,tua finhota e todos aqueles que te são queridos um Feliz Natal e um Prospero Ano Novo.
Se possivél que o Novo Ano nos presentei com o que mais desejamos e não conseguimos realizar este.
Muito Amor,Paz e Saude estes sim são os bens maiores!

Bjinhos amigos e sinceros destas vossas amigas,
Moonlight e filhota

Secreta disse...

Passei para deixar um beijito de feliz Ano Novo.

Moonlight disse...

Minha amiga Lita,

Quero em palavras muitos simples e sinceras te desejar um Feliz 2010!
Que o Ano Novo traga a ti e tua filhota tudo o que de melhor houver e que mais desejarem.
Obrigada pela sentida amizade mesmo que virtual que ela predure por 2010 e sempre.

Bjinhos cheios de luar,pra ti minha querida e para tua Matilde das amigas,

Moonlight e Carlota