19 de agosto de 2009


Quem me dera que o meu silêncio fala-se, que a minha insónia dormi-se, e o meu ser não se sentisse.

Bradaria aos céus, a inexpugnável revolta que me corroí.

Adormeceria, esta saudade em mim.

E nem por um escasso segundo, me permitiria sentir mais esta tristeza.

3 comentários:

Moonlight disse...

Amiga,

Não deixes essa saudade ser mais forte do que tu és.
Grita no silencio da noite e mortifica esse sentimento que te corroí.

Um bj cheio de luar

A Palavra Mágica disse...

Lita,

Apesar dos pesares, ninguém nasceu para ser triste. A Vida vai te mostrar uma Luz.

Acredite!

Beijos!
Alcides

Transcendente disse...

É daquelas cenas que mais valia ser um robô...