2 de setembro de 2008

Ninguem sabe


Ninguém sabe
Ninguém sabe, apenas eu
Que ás vezes eu choro,
Se pudesse fingia que estou adormecida
Quando as minhas lágrimas começam a cair
Eu espio o que há por trás de tudo
Eu penso, ninguém sabe
Ninguém sabe, não

Ninguém gosta de perder a voz interior
A que eu usava antes,para me ouvir sobre a minha própria vida
Faço uma escolha
Mas eu penso, ninguém sabe
Não...
Ninguém sabe

O segredo está seguro comigo
Não há nenhum lugar do mundo que eu quisesse estar
E sinto-me como estivesse totalmente só,
Quem vai estar lá ?
Eu perdi-me do caminho de casa
Eu penso, ninguém sabe, não

Isto é ganhar ou perder, a estrada para a escuridão tem um caminho
E sabe sempre o meu nome
Mas eu penso, ninguém sabe
Será que amanhã eu terei um amigo?
Será que acordarei e começarei tudo de novo?
Quando todo mundo tiver ido...

Ninguém sabe
Ninguém sabe o ritmo do meu coração
O que eu faço quando estou mentindo na escuridão
E o mundo está adormecido
Eu penso, ninguém sabe
Ninguém sabe

2 comentários:

One disse...

Eu sei e lamento imenso que ainda estejas nesse estado, alias que cada vez mais te enterres nesse estado. Estado do qual apenas tu tens o poder de sair, apenas tu podes lutar para sair dele, mas para isso tens de querer...querer lutar contra a apatia e comodidade que deixaste entrar em ti e guiar-te. No dia que expulsares isso de ti, vais te sentir livre, vais te sentir leve, vais te sentir viva e a encontraras o caminho para casa e o caminho para a vida que queres. Luta pelos teus objectivos e sonhos, porque no fundo sabes que tens o poder e a força para isso. Beijo grande e forte

Estrelinha* disse...

Texto Bonito*

Blog esta muito fiche mesmo, ;)

beijinho*