12 de maio de 2009


Sobre um campo de papoilas, solto o meu grito mudo.
O meu suspiro profundo.
Deixo que os aromas me embalem, deito-me no chão em busca de um leito de conforto, deixo que as folhas me toquem, dando-me o direito de recordar o que é ser tocada, com maciez.
Permito-me pedir um carinho, ás gotas de orvalho que me caem na pele, minimizando-me esta clausura, onde um toque é tanto, para a realidade do nada.
Fecho os olhos e de leve, sinto o vento balancear as folhas que me acolhem, mas não sinto frio.
Sinto sim, que do nada pode-se ter tanto, e neste campo, não estou só!

3 comentários:

Secreta disse...

Palavras cheias de força...e a imagem simplesmente fantástica!
Beijito.

A Palavra Mágica disse...

Lita

"Sinto sim, que do nada pode-se ter tanto, e neste campo, não estou só!"

Essa é uma expressão de coragem.

Beijos!
Alcides

.: Pink Life :. disse...

É issO mesmO!!

FOrça!!

COragem!!

BeijOkas
*muah*